O LUMINA Festival da Luz vai voltar a Cascais com manifestações luminosas únicas, projeções multimédia e plataformas interativas em cerca de 20 obras artísticas de cerca de 40 autores, nacionais e internacionais, que foram desafiados a honrar a natureza.
FOTOS
PROVADOR

O que deve saber antes de ir ao LUMINA Festival da Luz em Cascais

O LUMINA Festival da Luz vai voltar às ruas de Cascais entre 22 e 24 de setembro e promete atrair milhares de pessoas com mostras de luz que não pode perder.

São manifestações luminosas únicas, com projeções multimédia e plataformas interativas que fazem deste espetáculo uma demonstração artística que desperta a atenção de todos os visitantes.

O jornal britânico The Guardian já o considerou um dos melhores festivais de luz da Europa e no final do mês ele volta a estar nas ruas numa edição que pretende homenagear a natureza.

"É um tema para o qual os diretores artísticos estão particularmente sensibilizados. Enquanto artistas sempre denotaram na atividade artística uma preocupação acrescida sobre o tema", afirmam NUNO Maya e a Carole Purnelle, do ATELIER OCUBO e diretores artísticos do evento.

Enquanto autores e intervenientes na causa ambiental, criaram a obra Plastic World, que consiste numa escultura esférica que representa o globo terrestre, construída a partir de materiais plásticos retirados do oceano, uma obra esteve exposta na Austrália na Bondi Exhibition.

Abordando a natureza, o LUMINA quer despertar o público para questões tão essenciais quanto as forças e as fragilidades da natureza. Evidenciar uma temática sempre atual, a sustentabilidade, e qual a relação do Homem com a natureza e vice versa. Mas acima de tudo, esta edição é um tributo à mãe natureza."

Para o efeito, cerca de 20 obras artísticas vão estar instaladas durante os três dias em Cascais. Os autores, nacionais e internacionais, foram desafiados a honrar a natureza nesta que é a sexta edição do evento cultural.

O festival, de entrada livre, recebe anualmente mais de 400 mil pessoas e este ano conta com o contributo de cerca de 40 artistas, de vários países, para continuar a atrair tantos visitantes.

Os criadores que utilizam a luz como forma de expressão vêm, além de Portugal, de países como a Alemanha, Bélgica, França, Israel e Nova Zelândia.

Os visitantes vão assim poder encontrar nas ruas de Cascais um “Túnel do Amor” feito de bambu e que convida as pessoas a entrarem no sentimento, mergulhados numa atmosfera luminosa. Podem ainda, usufruindo das vantagens dos smartphones, entrar nas próprias obras e fazerem parte delas, como por exemplo ao viajar em 360 graus pelas estações do ano na obra “Seasons”. Mas há mais, entre as duas dezenas de obras presentes.

Muitas outras experiências luminosas prometem proporcionar ao público inúmeras sensações e despertar nele a ligação à natureza”, esclarece a organização em comunicado.

Veja também
Também tem uma história para contar?
Queremos saber!