April Ivy, Jamiroquai, Dengaz e Afrojack fecharam o palco principal do MEO Sudoeste no quinto e último dia do festival da Zambujeira do Mar.
FOTOS
PROVADOR

Sudoeste surpreendeu com aparições especiais no último dia

No último dia de festival da Zambujeira do Mar, os concertos do palco principal foram surpreendentes não apenas pela qualidade dos espetáculos, mas porque contaram com presenças especiais ao lado dos cantores do cartaz. Diogo Piçarra subiu ao palco com April Ivy e Dengaz chamou Seu Jorge para cantar com ele.

A primeira a pisar o palco MEO neste quinto dia de festival Sudoeste foi a portuguesa April Ivy. A jovem cantora mostrou a versatilidade que caracteriza a corrente pop que segue, desde as músicas que já conhecemos, às covers que fez, mas sem esquecer as roupas e os adereços, que fez questão de trocar por várias vezes.

A cantora de 18 anos, que já tinha atuado no festival no ano passado, marcou a 21.ª edição do evento ao abrir o palco principal no último dia.

Cantou os três singles que já lançou e que foram popularizados nas rádios nacionais, mas apresentou aquele que será o próximo single a sair já em setembro cujo título é “Run for Cover”.

April Ivy fez ainda suas no concerto músicas de Rihanna, Ed Sheeran e Justin Bieber, momentos que também foram acompanhados por todo o público.

Um dos momentos altos da apresentação da cantora foi mesmo quando Diogo Piçarra se juntou à jovem artista para juntos cantarem um tema de ambos.

Jamiroquai, um dos mais aguardados da noite, seguiram-se na subida ao palco e fizeram aquilo que toda a gente esperava: uma concerto exemplar, em que não faltaram os clássicos temas.

Os britânicos não desiludiram quem veio cá de propósito para os ver e cantaram desde as músicas mais antigas e conhecidas às mais recentes.

A banda de funk manteve um registo cheio de energia, que além de por toda a gente a cantar, fez mexer muita gente no recinto do festival.

De volta à música nacional, Dengaz foi o terceiro do cartaz a atuar na noite deste sábado, última de MEO Sudoeste, que de acordo com os números da organização, trouxe à Herdade da Casa Branca 200 mil festivaleiros.

A interação com o público foi especial, o artista manteve constante contacto com os festivaleiros, quase sempre interagindo entre as canções, levando os visitantes ao rubro.

Dengaz deu um concerto à altura das expectativas, onde não faltaram os temas mais conhecidos, um deles o que justificou a vinda de um convidado especial.

Seu Jorge juntou-se ao artista no palco MEO para, juntos, cantarem o tema “Para Sempre”, um dos mais conhecidos do artista. Este foi um dos momentos altos do concerto do português, ao lado do tema “Dizer que Não”, que pôs o público em uníssono a cantar.

Depois do concerto do português, e ainda antes de Afrojack atuar, foi altura de ser sinalizada a celebração dos 20 anos de Sudoeste com um espetáculo de fogo de artifício durante alguns minutos que iluminou os 45 hectares da Herdade da Casa Branca.

O último dia de Sudoeste encerrou então ao som de Afrojack no palco MEO. O DJ holandês foi uma das grandes apostas da organização para esta 21ª edição e foi um tiro certeiro.

Os festivaleiros dançaram, cantaram e saltaram ao som da música eletrónica de Afrojack que, à semelhança do que aconteceu com os restantes DJs dos dias anteriores, teve direito a espetáculo pirotécnico a acompanhar a batida: fumo, chamas no palco e alguns foguetes nos momentos altos da música.

Afrojack fechou em grande o palco MEO em 2017 com uma apresentação irrepreensível, com um alinhamento musical variado, onde estiveram alguns dos temas mais conhecidos dos últimos tempos.

O artista manteve contacto frequente com o público, pedido saltos e voz nas músicas, o que fortaleceu a ligação dos festivaleiros com o DJ, criando assim um ambiente fantástico no recinto do evento.

O MEO Sudoeste superou este ano as 195 mil pessoas que visitaram a Herdade da Casa Branca em 2016, números lançados pela organização do festival. O evento regressa no próximo ano.

Percorra a galeria de imagens acima para ver os melhores momentos dos concertos da quinta e última noite de MEO Sudoeste de 2017, ano em que se completaram duas décadas desde a primeira edição.

Veja também
Também tem uma história para contar?
Queremos saber!