Jogo Viral
Foto: MesaBoardGames

Como é que podemos ser um vírus durante 60 minutos?

A resposta à pergunta no título deste artigo vem no novo jogo de tabuleiro, Viral, criado por dois portugueses.

Cada jogador é um vírus que acabou de infetar o corpo de um paciente e o objetivo é espalhar-se e afetar todos os órgãos. Lançado este ano, a estreia mundial decorreu na GENCON 2017, a maior convenção de jogos dos Estados Unidos da América, enquanto que a estreia em Portugal decorreu no fim de semana que passou, 9 e10, na Cascais Games Vault

Gil d’Orey, formado em Design de Comunicação e apaixonado por jogos de tabuleiro, dedica-se quase há 8 anos a esta área. Fundou a MESAboardgames e desde então que tem como missão criar e divulgar este tipo de diversão para crianças e adultos.

Este não é o primeiro, nem será o último, jogo que a empresa portuguesa cria. Relativamente ao Viral, Gil d’Orey afirma que o maior desafio foi “fazer um jogo apelativo, divertido, sem cair na linguagem e ilustrações grosseiras ou repulsivas… Estamos a falar de órgãos do corpo humano!”

Para além da edição portuguesa, encontramos o jogo em inglês, justificado pelo facto dos Estados Unidos da América serem o principal mercado da empresa. Em breve, vamos poder encontrar, também, a versão alemã e espanhola. 

O mercado em Portugal ainda é muito “verde”. A maior parte das pessoas acha que os jogos de tabuleiro se resumem ao jogo da Glória, Monopólio e pouco mais, mas está a mudar… Cada vez mais famílias conhecem os “modernos” jogos de tabuleiro e reconhecem a importância destes como proposta válida de entretenimento. Estar à volta de uma mesa, frente a frente, conversar, saber ganhar, saber perder, sempre olhos nos olhos. Sem aparelhos electrónicos a mediar. Somos mais humanos, quando nos sentamos à volta de uma mesa e jogamos”. Refere Gil d’Orey.

 

Veja também
Também tem uma história para contar?
Queremos saber!