Gertrude e Alvin casaram-se quase no ocaso da idade mas têm ainda uma vida inteira pela frente
FOTOS

Ela tem 98, ele 94 e casaram-se ao fim de oito anos de namoro

Gertrude Mokotoff e Alvin Mann conheceram-se em 2009 num ginásio em Middletown, em Nova Iorque. Oito anos volvidos, continuam a treinar-se lá duas vezes por semana.

Ele é um empresário reformado e um veterano da II Guerra Mundial. Tinha perdido a mulher há apenas dois anos e, embora falasse muito com os seus filhos, não havia ninguém especial na sua vida. Até que um amigo o quis apresentar a Gertrude. Alvin pediu-lhe o número e marcou um encontro.

"Os meus amigos fartavam-se de brincar comigo por namorar uma mulher mais velha", contou Alvin, ao "The New York Times". "Mas a diferença de idades nunca me chateou porque demo-nos bem logo desde o início e eu não ia deixá-la escapar".

Encontraram-se num pequeno café perto do antigo trabalho de Gertrude. Sentaram-se à mesa e, durante duas horas, durante o jantar, sobremesa e café, simplesmente falaram. Alvin não se lembra ao certo sobre o quê, mas foram os últimos a deixar o café nessa noite: "Abrimo-nos um ao outro e as palavras limitaram-se a sair".

Durante oito anos, as coisas correram bem. Iam sair, cinema, as ocasionais idas a Nova Iorque para ir à ópera. Foi Mann quem levou Gertrude pela primeira vez ao ballet. Voltavam ao pequeno café onde tinham tido o primeiro encontro para se sentar na mesma mesa.

Até que, em junho deste ano, depois de mais uma dos seus passeios noturnos em Manhattan, Gertrude resolveu quebrar a tradição: "Pedi-o em casamento", revelou, entre risos. "Estava cansada de andar atrás dele".

"Ela perguntou-me 'E se nos casássemos?' e eu respondi 'Claro'", continuou Alvin. "A Gertrude gosta de ter a vida arrumada".

A família de Gertrude costuma encontrar-se uma vez por ano. Já que vão reunir-se, porque não fazer dessa reunião um casamento?, perguntaram-se. E assim foi.

Gertrude e Alvin são ambos viúvos de casamentos anteriores. Entre os dois, têm sete filhos, doze netos e sete bisnetos: "A idade não conta para nada para mim e para a Gert", asseverou Alvin. "Não a encaramos como uma barreira. Continuamos a fazer o que queremos na vida".

Assim, numa tarde solarenga de sábado, na câmara municipal de Middletown, Alvin, de 94 anos, vestiu o seu fato azul clarinho. Gertrude, que faz 99 a 20 de agosto, vestiu um fato azul. Cerca de cinquenta pessoas estiveram presentes na cerimónia.

Um dos filhos de Gertrude, um guitarrista clássico, tocou a "Over The Rainbow". Joe DeStefano, presidente da câmara, presidiu à cerimónia. A filha de Gertrude e o filho de Alvin, ambos com 71, levaram as alianças. À saída, as tradicionais latas presas na traseira do carro, enquanto os dois se afastavam e podia ler-se "Casados de fresco"...

A vida de casados não é muito diferente. Continuam a gostar muito um do outro e planeiam viver cada um na sua própria casa. Continuam a ir ao ginásio duas vezes por semana e a jogar bridge com os amigos ao domingo.

E o que os mantém tão jovens ao fim destes anos todos? "Em parte é a ciência, pois claro", começou Alvin. "Mas a maior parte é que nós vivemos uma vida sem preocupações. Não deixamos que nada que não controlamos nos aborreça de qualquer maneira que seja".

A irmã de Gertrude viveu até aos 103 anos, por isso acreditam que ainda têm algum tempo juntos e tomam conta um do outro. "Ambos sabemos que, eventualmente, iremos partir. Talvez seja a minha maneira, ou a maneira dela, ou a nossa maneira de nos despedir-nos do mundo de mão dada".

Mas, na visão deste casal apaixonado, para já, isso parece estar a uma vida inteira de distância.

"Ando com um homem mais novo", diz Gertrude, enquanto Alvin ri. "Ela é uma boazona", responde-lhe.

Veja também
Também tem uma história para contar?
Queremos saber!