Azita Rahman foi alvo de comentários sexistas no local de trabalho
Crédito: Azita Rahman/Facebook

A resposta desta jovem aos comentários sexistas de um colega de trabalho é só perfeita

Azita Rahman, estudante de sociologia na Universidade da California, em Riverside, foi promovida em detrimento de um colega, que não gostou e enviou-lhe uma série de mensagens sexistas.

Este tipo de situações não devia acontecer em 2017 mas, infelizmente, continuam a suceder-se. Azita Rahman é uma estudante indiana de sociologia na Universidade da California, em Riverside, que foi promovida à frente de um colega de trabalho.

Inconformado e insatisfeito com a situação, o colega de trabalho enviou-lhe várias mensagens sexistas porque, acredita, a posição seria "melhor para um homem".

A jovem fez queixa do colega de trabalho aos recursos humanos da empresa, de quem recebeu autorização para partilhar a troca de mensagens. E foi isso mesmo que fez. Rahman partilhou as mensagens no Twitter, onde recebeu o apoio de vários utilizadores na denúncia deste tipo de situações.

"Sem ofensa, mas tu não mereces esta promoção. Eu mato-me a trabalhar e levo-lhe café todos os dias... Tu és demasiado emocional a tomar decisões", começa por dizer o colega de trabalho. "Não sou sexista, mas esta posição é melhor para um homem. Os homens são melhores com números, somos melhores contabilistas. Darias uma boa secretária. Não te ofendas, estou só a ser honesto. Espero que não me interpretes mal".

Ora, Rahman não deixou ficar e respondeu-lhe, colocando-o no seu lugar.

"A diferença entre nós os dois é que enquanto passas o tempo aí sentado a escrever-me estas mensagens de m****, como se tivesses direito a tudo e a dizer que trabalhas muito só porque és branco, eu estou -- surpresa! -- a trabalhar e a merecer as "tuas" promoções. Podes dizer o que quiseres mas, no final do dia, o nosso chefe usou as tuas pretensas capacidades superiores de tomada de decisão para me promover, não a ti. Sinto muito se os teus genitais e a tua cor de pele não te favoreceram desta vez", escreveu Rahman, deixando a melhor parte para o final: "Talvez na próxima promoção! Até lá, tens de entregar o teu relatório amanhã. Até já".

Mas a história não fica por aqui: segundo o tweet partilhado mais tarde, o colega de trabalho em questão costuma fazer vários comentários islamofóbicos em relação a ela, daí ter feito menção à cor de pele.

 

O SPOT+ tentou entrar em contato com Azita Rahman, mas sem sucesso.

Veja também
Também tem uma história para contar?
Queremos saber!