Clarice Falcão atua em Lisboa a 29 de setembro e no Porto a 4 de outubro
FOTOS

Clarice Falcão: "Se não gostarem, atirem tomates, porque os ovos cheiram mal!"

A atriz brasileira, que se popularizou no nosso país com o programa de humor "Porta dos Fundos", vem a Portugal para dois concertos, em Lisboa e no Porto, e falou ao SPOT+ sobre as expetativas para esses dois espetáculos.

A Clarice esteve para vir a Portugal no ano passado, mas acabou por não vir. O que aconteceu?
Estávamos a marcar várias datas da digressão e não conseguimos fechar a tempo de não atrapalhar a digressão aqui no Brasil.

Foi uma questão de timing, portanto...
Sim, mas acabou por ser bom, porque vamos agora!

Está entusiasmada por vir a Portugal?
Muito! Nervosa também, mas muito entusiasmada.

O que vem apresentar?
Vou apresentar os dois álbuns. Vai ser uma coisa que nunca fiz, porque vou ser só eu e o João Erbetta, que toca comigo. Normalmente viajo com uma banda inteira: bateria, baixo, teclados e guitarra. Agora vou ser eu, violão e guitarra, só. Um músico, só. Vai ser interessante. Estou um pouco nervosa por causa disso, é um show novo, quase. Mas por outro lado acho que vai ser bom.

Vai trazer alguma coisa nova, um inédito ou uma surpresa?
Ainda estou a pensar nisso, ainda não fechei completamente o reportório. Como é um espetáculo novo, estou ainda a fechar. Como fiz as digressões do “Monomania” aqui no Brasil e depois do “Problema Meu”, reservei-me o direito de tirar algumas coisas do primeiro CD... Como nunca o apresentei em Portugal, a minha vontade é mostrar quase tudo! Não sei se vai haver tempo para mostrar muita coisa nova. A minha vontade é fazer um espetáculo que tenha mais coisas antigas do que o habitual.

O que vai fazer entre os espetáculos de Lisboa e Porto?
Não faço a mínima ideia, estou muito animada! Quando fui para divulgar a digressão do ano passado, que acabou por não acontecer, estive uma semana em Portugal e amei demais! Já aí tinha ido com o "Porta dos Fundos", mas fiquei muito chocada com Lisboa, é uma cidade tão viva... Fiquei muito chocada! Estive em Lisboa nos Santos Populares, foi uma época especialmente animada. Foi muito divertido, foi muito divertido mesmo, por isso estou muito ansiosa. Tenho alguns amigos a morar em Lisboa, imagino que vamos sair bastante. Espero que sim! Alguém me disse que Lisboa é a capital do after… Vamos ver!

A Clarice é atriz, já fez cinema, teatro e uma novela; também é guionista, cantora, compositora, escritora, humorista… Vê-se como uma mulher dos sete ofícios?
Acho que puxei um pouco ao meu pai, ele tem um pouco isso. Ele gosta de fazer um pouco de tudo, gosta de misturar as coisas. A verdade é que eu enjoo facilmente das coisas que faço. Quando passo uns dois anos a fazer a mesma coisa, a partir de uma certa altura começo a coçar-me um pouco, a sentir-me confortável. Começo a fazer as coisas de uma forma mais ou menos mecânica e acho importante, como artista, sentir-me desconfortável a fazer o que seja.

Não ficar parada...
Isso mesmo! Não me sentir a fazer uma coisa que já sei fazer… Nós vamos aprendendo os truques. Se estou com o mesmo espetáculo há mais de um ano, começo a fazê-lo quase mecanicamente, perde a espontaneidade.

Que mais lhe falta fazer?
Ai, não faço a mínima ideia! Gostaria muito de seguir este caminho… Fiz agora um especial para a Netflix [n.d.r.: Especial de Todo o Ano] em que juntei de tudo um pouco. Tinha música, mas também era actriz, fui eu que escrevi e também compus. Queria seguir um pouco por esse caminho de misturar o que faço. O que eu fazia era estar dois anos com uma digressão, depois focava-me mais na carreira de atriz, depois começava a compor e lançava um disco, fazia mais uma digressão, atriz novamente… Eu queria fazer uma coisa mais misturada.

Tem alguma mensagem para deixar ao público português antes de vires?
Espero que gostem! Estou nervosíssima, com medo de me atirarem coisas. Tomates, ovos… É melhor tomates! Se atirarem coisas, atirem tomates porque os ovos cheiram mal e é péssimo para tirar do cabelo!

Clarice Falcão atua no The Famous Fest no LX Factory a 29 de setembro e no dia 4 de outubro é a vez de a Casa da Música receber a cantora brasileira. Os bilhetes já estão à venda.

Veja também
Também tem uma história para contar?
Queremos saber!